Masmorras

Resenha Masmorra nas Estrelas – Um Hack de Dungeon World para Star Wars

Por Júlio Matos

Olá Pessoal

Seguindo minha própria máxima de que “não dá só pra reclamar, tem que fazer”, após meu artigo sobre Crítica que Importa, decidi fazer algumas resenhas sobre algumas produções Brasileiras publicadas recentemente.

Então comecemos pelo Masmorra nas Estrelas, uma Hack de Dungeon World para um dos mundos de Fantasia Espacial mais querido do mundo: Star Wars. Idealizado e desenvolvido em grande parte pelo Alisson Vitório, o Mestre das Antigas, o livro conta com a colaboração de diversas pessoas da comunidade Dungeon World Brasil que, além de auxiliarem nas regras, também ajudaram nas ilustrações, além do apoio do Lampião Game Studio, que vem se consolidando como um dos mais produtivos coletivos da cena atual independente.

Baixe agora o seu Masmorra nas Estrelas!

SW01

O Livro

Masmorra nas Estrelas (ME) está disponível gratuitamente em formato PDF, conta com surpreendente 256 páginas, e é talvez um dos materiais mais extensos gratuitos disponíveis hoje em jogos de contar histórias na nossa língua. Aproveitando-se da licença Creative Commons do Dungeon World (DW), o ME possui todas as regras disponíveis para jogar, ou seja, é um material independente de Dungeon World, que você pode aproveitar e inclusive conhecer a Apocalypse Engine (AWE) sem gastar um centavo sequer.

O livro possui uma qualidade gráfica excelente e é ilustrado aproveitando imagens licenciadas e algumas ilustrações originais que estão muito bem organizadas em uma diagramação consistente. Apesar de ser um material free e digital, percebe-se que a diagramação foi pensada para impressão também. Além do conteúdo, foram disponibilizados fichas para personagens e naves em formato para impressão.

SW02

Os Jogadores

O livro começa apresentando as possibilidade de Protagonistas para os jogadores, abordando os arquétipos mais recorrentes de Star Wars e é provavelmente nesta parte onde o material mais brilha em sua concepção ao trazer uma área de “princípios do jogador”. Basicamente ele direciona de forma simples e didática a postura do jogador ao assumir um papel no jogo e esta é uma apresentação que não está contida em outros materiais da AWE e que ajuda muito no entendimento do sistema. Antes de passar aos movimentos ele apresenta rapidamente o fundamento do Fluxo Narrativo no jogo de forma bastante instrutiva.

Os movimentos básicos e avançados foram transpostos do Dungeon World, adaptando termos e exemplos a realidade do cenário. Isso simplifica para quem já está acostumado ao DW a ir direto aos detalhes e também possibilita para quem é novo no sistema aprender o passo a passo dos movimentos.

Na parte de Protagonistas, onde são apresentados em detalhes os Arquétipos, há um foco grande no Escolhido, que cobre as características de um usuário da força independente de sua facção (Jedi, Sith ou Grey). Uma nova mecânica é apresentada para abordar o pêndulo da força entre seus caminhos e a abordagem da Força nos moves através de Controles (similar aos Domínios nos movimentos do DW) faz o seu uso bastante intuitivo e sinergético com a mitologia da franquia.

Esta escolha de design, no entanto, foi a que menos me agradou no Hack como um todo. Em diversos jogos que abordam Star Wars, a Força é considerada um elemento central presente em todos os personagens e não apenas uma característica de um arquétipo. Ela influencia de forma evidente toda a cosmologia do cenário e por isso poderia ter influência em todos os arquétipos. Obviamente esta é uma escolha de design dos autores, mas creio que a mecânica de “Ciclo da Força” seria facilmente adaptável para influenciar diversos movimentos de outros arquétipos, trazendo o sabor mais onipresente desta energia mística para a mesa. Claro que em Game Design é assim, fazemos escolhas e tornamos estas escolhas coerentes. Da forma apresentada, o design da Força está perfeitamente coerente.

As outras classes apresentam opões variadas que vão desde um vigarista intergalático até um Lorde poderoso da política da República. O livro não fixa a ação em nenhum momento da Cronologia Star Wars, sendo amplo o suficiente para que você escolha em que época irá  desenvolver suas aventuras. Ele alinha diversos detalhes de algumas questões específicas, mas sem citar uma ordem cronológica de fatos. Permite que você construa a sua própria saga, paralela ao que acontece nas outras mídias do cenário.

Naves e Quinquilharias

São apresentadas diversas naves, novos movimentos para que elas possam ser pilotadas e diversos rótulos que irão permitir estabelecer relações de escala e dano para veículos gigantescos tripulados por mais de um personagem. As naves estão agrupadas em classes, por isso, apesar de uma infinita variedade de opções apresentada em Star Wars, as naves seguem um padrão de regras de sua classe para facilitar e agilizar seu uso durante o jogo.

Essa parte também engloba os equipamentos e artefatos que são abundantes neste cenário cheio de “tecnologia velha e suja”.

SW03

Múltiplas Facções e uma Galáxia Distante

O livro se encaminha para o final abordando a atuação do Mestre de Jogo e promove explicações de como desenvolver as frentes de aventura (apesar de não se aprofundar no conceito de frentes) através das inúmeras facções existentes no cenário.

Esta é uma parte bem extensa onde cada facção é explorada a fim de dar insights mesmo para quem viu apenas um filme de Star Wars e fica perdido para criar novas aventuras dentro de um universo tão rico.

E claro, não podiam faltar uma dezena de locais conhecidos e interessantes onde podem rolar encontros perigosos. São descritos planetas e locais de interesse, além de ser apresentado um conjunto de regras para criação de seus próprios planetas, que irão dar cor a sua saga.

O livro se encerra apresentando monstros e oponentes comuns do jogo e em seus apêndices apresenta mecânicas para dar sabor a sua espécime alienígena nova ou consagrada. Em um cenário gigante como Star Wars, seria impossível catalogar e detalhar cada uma das espécies alienígenas e creio ter sido uma boa escolha deixar isso a cargo dos jogadores.

Conclusão

Masmorra nas Estrelas é um material muito bem vindo para a cena de DW, pois expande seus conceitos e divulga para um número de jogadores que ainda não conhecem a AWE e estão em dúvida sobre adquirir os livros. Um trabalho gigantesco e que por motivos do copyright da franquia permanecerá gratuito e acessível para todos. Mesmo não concordando com algumas escolhas de design e como fã incondicional de Star Wars, recomendo fortemente esse livro para qualquer tipo de jogador, seja ele veterano ou iniciante!

Baixe agora o seu Masmorra nas Estrelas!

 

About the author: Julio Matos

Júlio é Game Designer, Professor e entusiasta da cena Independente. Foi criador do Botequim dos Jogos e trabalha para manter o Mamute de pé! Você encontra os jogos malucos do Júlio no ZK Studio

Leave a Reply

Your email address will not be published.