Avaliações – Herança por Felipe Recka

Avaliação por Fernando Muniz Erthal

Não é possível dizer que não me interessei por herança, mas infelizmente fiquei confuso enquanto lia o sistema.. Um pouco porque achei as informações apresentadas de forma muito corridas e em uma ordem que não me ajudou muito, mas também muito, por eu ter pouco tempo para ler o sistema com calma e entender tudo o que foi proposto. Na minha opinião Herança é um sistema com potencial, mas que talvez pelo pouco tempo do concurso, não teve tempo suficiente para passar por revisões.

Achei a história interessante, pois gosto muito de cenários como o proposto, as raças me lembram alguns filmes que gosto e talvez por isso fui cativado.. Na minha opinião, o maior problema do sistema foi o fato dele tentar juntar todos os temas propostos, fazendo assim com que eu me perdesse um pouco para entender o foco, para o FVM. Não que isso é um problema, mas comparando em sistemas onde foram escolhidos 3 temas, por exemplo..

São totalmente focado nestes 3 temas, herança perde por não ter este foco específico, na minha opinião. Mas vamos aos critérios agora.

1. O jogo é capaz de transmitir a experiência a que se propõe? As regras atuam no sentido de proporcionar a experiência proposta?

Sim, o jogo se propõe a trazer um mundo e entregar uma viagem a outra sistema, onde existem raças e seres distintos, e a opressão do lugar acaba com a igualdade das raças menores. Na minha opinião ele consegue transmitir essa ideia, e as regras colocadas fazem com que o jogo funcione. O único problema é que para mim elas não estão colocadas de maneira intuitiva, e muitas vezes me perdi durante a leitura, e fiquei confuso.

2. Quão completo é o jogo: o jogo enviado funciona sozinho, com todos os elementos para uma sessão de teste?

Não sei dizer, pois não joguei o jogo, e como dito anteriormente, me senti um pouco confuso na leitura das regras, algumas me cativaram e realmente me fizeram gostar e querer ver como funciona em uma mesa com meus amigos, mas como não joguei não sei dizer. Acho que apenas é necessário uma revisão, para melhorar a ordem das coisas e trazer mais clareza para o mestre, que como eu, pode se sentir um pouco perdido.

3. O jogo incorpora de maneira concreta e substancial os temas escolhidos? Se a autora optou por usar uma das metas alternativas de design, ela conseguiu executá la satisfatoriamente?

Como já dito, o jogo tenta incorporar todos os temas propostos, e quando isso acontece, na minha opinião peca um pouco, pois não sei dizer qual tema está em cada lugar do sistema.. Diferente de outros onde eu pude ver claramente o tema se encaixando e sendo parte principal da proposta.. O que me deixou confuso também, é que o autor diz não ter usado nenhuma meta de design, mas fala muito sobre a desigualdade das raças, como o próprio resumo diz: “Herança é um jogo narrativo sobre empatia às minorias”..

Por fim, o que quero dizer mesmo é, algumas metas sim, são colocadas, mas outras são apenas postas como por exemplo, dizendo que o jogo é sobre a ​Revolta contra um sistema opressor.. Mas na minha opinião, isso depende muito do mestre querer colocar em sua aventura ou não.. Nem todas os temas são explorados a fundo, como poderiam ser, mas sim, outros são bem utilizados e por isso acredito que de certa forma ele os incorpora sim.

Observação: Gostaria de dizer aos autores dos sistemas que avaliei, que tentei ser totalmente justo, e que nunca avaliei nenhum sistema antes, assim como nunca tinha escrito um, e muitas das coisas que critiquei, eu também errei em meu próprio sistema.. Tentei citar acima de tudo o meu sentimento com o jogo, por não ter uma visão mais técnica.. Por pedido dos organizadores, tentei dar as notas diferentes para cada jogo, onde destaquei aquele que achei mais completo e o que entendi que precisava de mais modificações.. Tirando isso, gostei de todos os sistemas, e jogaria todos eles com meus amigos.

NOTA: 2


Avaliação por Marcio Moreira

  • O jogo é capaz de transmitir a experiência a que se propõe? As regras atuam no sentido de proporcionar a experiência proposta?

O jogo não me parece querer passar nenhuma experiência marcante através da mecânica. Ele tenta ser um RPG básico, bem parecido inclusive com o Storyteller, de títulos famosos dos anos 90 como Vampiro lobisomem e etc. A diferença é que ao invés de dados, usa cartas de baralho. Esses pontos e essas semelhanças se confirmam quando percebemos que há uma preocupação muito maior com o cenário. Este é mais trabalhado, e está muito separado da mecânica. O Autor parece querer resolver tudo apenas com criação de mundo.

NOTA desse QUESITO: 0,0

  • Quão completo é o jogo: o jogo enviado funciona sozinho, com todos os elementos para uma sessão de teste?

Mecanicamente, parece possível jogar o Herança, mas como já foi dito, o jogo lembra um RPG mais complexo, que está incompleto. Passa-me a ideia de que ao final de uma sessão, algo pode ficar faltando, ou que alguma situação de jogo não seja coberta pelas regras.

NOTA desse QUESITO: 0,8

  • O jogo incorpora de maneira concreta e substancial os temas escolhidos? Se a autora optou por usar uma das metas alternativas de design, ela conseguiu executá-la satisfatoriamente?

O autor de Herança disse em seu material que tentou incorporar todos os oito temas ao jogo. Porém, por mais que soe cruel (ainda mais cruel do que essa resenha já parece ser), esses temas soam mais como um “caça-palavras” misturado ao lore. Todos os temas são apenas citados na ambientação e em nada impactam à mecânica e aos processos e fases do jogo. Mais parece um cenário criado para um sistema genérico que se utiliza de cartas de baralho.

NOTA desse QUESITO: 0,3

NOTA: 1,1


Avaliação por Rafael Canhête Lopes Filho

Sistema de RPG tradicional, exceto pelo uso de cartas de baralho como instrumento de aleatoriedade. Forte viés ideológico.

Critério 1: Capacidade de transmissão da experiência pelas regras: Nota 1

Precisaria jogar para afirmar, mas não parece haver diferença de outros RPGs.

Critério 2: Completude do Jogo enviado: Nota 3

Manual bem completo e detalhado, com muitos exemplos e literatura.

Critério 3: Incorporação dos temas escolhidos ou execução da meta alternativa de design: Nota 2

Masculinidade, Tribos, Identidade: Integrados na Criação de Personagens por meio dos Povos de diferentes “naipes”.

Empatia, Privilégio: Integrados na forma de Habilidades exclusivas de algum dos Povos.

Apesar da proposta de usar todos os temas, a maioria é apenas “Fluff” (ambientação), não estando integrado às regras.

NOTA: 2


Nota final do jogo Herança por Felipe Recka: 1,70

About the author: Rafael Rocha

Rafael Rocha é sociólogo, um dos membros do coletivo/editora Secular, e um dos organizadores das primeiras edições do Laboratório de Jogos e Concurso Faça-Você-Mesmo de Criação de Jogos.

Leave a Reply

Your email address will not be published.